Série Feios (S. Westerfeld)

9 out

IMG_3963 edited

Eu pensei umas tantas vezes antes de comprar o box da série Feios pelo Submarino, sempre ficava na dúvida pois li resenhas falando que a série deixava a desejar, que o final era estranho e tal. Não vou mentir que não vi motivo para falarem isso, mas depois de ler tudo tenho uma opinião um tanto diferente e queria não ter escolhido ler resenhas que me desencorajassem porque o resultado final foram quatro estrelas no Skoob, o que considero uma boa coisa.

Vejam bem, àqueles que leram as mesmas resenhas que eu, se atentem a um fato importante (e que não considero spoiler, uma vez que vem escrito na sinopse, mas se quiser ter total abstração da história sugiro pular um parágrafo): os três primeiros livros são uma continuação da história, pulando apenas meses entre eles, já o quarto livro acontece em um país diferente e com outros personagens principais, então o contexto da história é outro completamente diferente. Foi por isso que separei a resenha em duas partes, primeiro falarei da série encabeçada pela Tally Youngblood e depois falarei pela história contada a partir da perspectiva de Aya Fuse. Eu considero histórias separadas… uma coisa é a história dos Marotos, outra é a do trio de bruxos mais famosos que conhecemos, certo?

Vamos lá, e o que a série tem para nos oferecer? Primeiramente, um mundo completamente novo. O planeta como o conhecemos hoje já não mais existe para Tally e seus amigos, eles vivem em uma das cidades que sobreviveram ao assustador fim do mundo, que aconteceu devido à uma praga que se disseminara, mas tal bactéria não contaminava as pessoas, ela contaminava o petróleo, o que o fazia explodir em contato com o oxigênio. Um grande fim, hãm? E mais, as cidades buscam à todo custo não cometer os mesmos erros que os Enferrujados (pessoas que habitavam o planeta anteriormente) e como muitos dos problemas sociais eram causados pela diferença física entre as pessoas, eles criaram um padrão de beleza que era imposto à todos. A partir dos 16 anos, todos passavam por uma cirurgia que os deixavam perfeitos. Em uma cidade onde todos são belos, amigáveis, inteligentes, fortes… O que tem pra dar errado? É nesse contexto que a história se desenrola.

Eu demorei à me adaptar com esse contexto, achava-o meio ridículo, assim como o fato do autor pegar um pequeno fator e feito dele o guia de todas as ações mundanas. Estranho. Só que quando percebi, já estava no meio da história. E quando terminou Feios, corri pra pegar Perfeitos na estante. E quando este terminou, não esperei nem 1 minutos para abrir Especiais. Pelo jeito me adaptei rapidinho a história, né? Pois então.

Não pense que tudo foi só flores, também. Participei de aventuras, surfei em pranchas magnéticas e reli cenas que me fizeram chorar, só que o autor deixou a desejar em alguns pontos da história. Às vezes eu quis que ele simplesmente desse maior atenção à cena, descrevesse melhor e a aprofundasse; deu pra perceber o amadurecimento do autor conforme  evolução da série, porque essas faltas foram percebidas com maior frequência nos primeiros livros, mas ainda assim queria que eles tivessem saído com páginas a mais, porque história para desenvolver acredito que tinha – um pouquinho em cada cena já faria diferença no montante final, pelo menos. Ah! Minhas edições também apresentam alguns erros de tradução e pontuação, viu Galera Record?

Para concluir quero dizer que tirei minha dúvida: vale a pena comprar. O livro me fez imergir em uma nova perspectiva de ver as coisas à minha volta e gosto muito quando um livro consegue abrir minha cabeça à ponto de rever minhas próprias ações. à vocês que permanecem na dúvida: dêem uma chance ao Westerfeld. ;)

# 2013: 39º, 40º e 41º

Título:  Feios, Perfeitos e Especiais
Autor: Scott Westerfeld
Editora: Galera Record
Páginas: 416, 384 e 352

Skoob: nota 4/5

Com carinho,

A.

9 Respostas to “Série Feios (S. Westerfeld)”

  1. claudiasvs 10 de outubro de 2013 às 9:08 pm #

    Interessante o seu modo de pensar,acho que vale pra todos os livros que lemos afinal acho que é uma questao de gosto e estado emocional do momento.Já abandonei livros que achei que ainda nao estava na hora de ler , ainda darei outra chance pra eles mas nao sei quando, e ja li livros que a critica era otima mas nao achei la essas coisas,enfim, gostei do seu texto, me fez pensar.obrigada,bjs.

    • anapalombo 11 de outubro de 2013 às 11:18 am #

      Ahh que linda, Claudia. Adoro ler um “obrigada” no final do comentário, me sinto fazendo alguma coisa certa. ;)
      Obrigada, viu?

      • claudiasvs 11 de outubro de 2013 às 11:19 pm #

        É muito bom mesmo quando mudamos de perspectiva como voce disse e abrir a cabeça pra coisas novas é a melhor forma de pensar e só por isso voce ja esta fazendo a coisa certa viu,continue assim,bjs.

      • anapalombo 13 de outubro de 2013 às 10:46 am #

        Obrigada. :)

  2. regina 14 de outubro de 2013 às 6:29 pm #

    Ana,
    é complicado ler resenhas antes dos livros, algumas desanimam a comprar. Longe de ser culpa de quem resenha, porque sabemos que é opinião PESSOAL. O que eu gosto você pode não gostar e muito pelo contrário também. Mas não tem jeito,somos levados. Somos influenciáveis. Isso vale pra vida, né não? Quantas coisas deixamos de fazer ou fazemos pela mania do PREconceito.
    Comigo já aconteceu de tudo. Resenha falava bem e odiei o livro. Resenha falava mal e amei o livro. Hoje já sou mais (um pouquinho) flexível e imparcial. E tenho me beneficiado (muito!) com isso.
    Você já leu a série Delirium de Lauren Oliver?? se não, PELOAMORDEDEUS leia! hehehe Comecei a ler agora. Estou fascinada. Uma das melhores distopias que já li (opinião de uma humilde leitora).

    abraços.

    • anapalombo 14 de outubro de 2013 às 11:24 pm #

      Regina, estou adorando sua frequência por aqui! Sinto que ganhei uma companheira. haha =)
      Com certeza as perspectivas variam e cabe à nós o poder da interpretação e do pensamento crítico, mas pelo bom ou pelo ruim acredito que as opiniões contam, só esqueci de deixar explícito o poder de filtro, né? Ele existe, don’t worry. ;)
      Quanto a série Delirium… uau, fui dar uma pesquisada no Skoob e já anotei como Vou Ler! Alias, mais uma de suas indicações. Merci, Regi! :*

      • regina 15 de outubro de 2013 às 6:22 pm #

        Que graça seu agradecimento em francês! Ainda bem que foi uma palavra que meu pobre dicionário francês conhece. hehehe (Mas se não fosse, “Alôooo google translate”)
        Sempre estive aqui, só não me anunciava. Depois de começar, adorei sua reciprocidade. Encontrei seu blog naqueles acasos. Procurava uma resenha digna de Orgulho e Preconceito e encontrei.
        Primeiro a qualidade da resenha, depois AQUELAS fotos (me ensina a fotografar tãooo bem? please). Já te disse que sou fã delas, né?
        E assim foi. E assim aqui sempre estou, porque aqui me sinto em casa (se me permite).
        Tenho a filosofia do elogio. Quando não gostamos de algo não pestanejamos em reclamar, porém quando gostamos passamos em branco.
        Então já que comecei, seu blog, suas fotos, você merecem todos eles.

      • anapalombo 16 de outubro de 2013 às 3:07 pm #

        ♥, apenas.

Trackbacks/Pingbacks

  1. Livros lidos em 2013 | Um journal de sorrisos - 11 de janeiro de 2014

    […] baixo astral (L. Snicket) 39) Desventuras em série: Inferno no colégio interno (L. Snicket) 40) Feios (S. Westerfeld) 41) Perfeitos (S. Westerfeld) 42) Especiais (S. Westerfeld) 43) Extras (S. Westerfeld) 44) Alta […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: