Sinto sua falta

5 set

[263-365D] Her name is Joana

Você chegou do nada, veio forçada, com cara amarrada, calça apertada e dando patada. Chegou com maldizeres, pequenos rancores de histórias atravessadas. Nos conhecia de vista e nós, tão fechados em nosso próprio mundinho, nem sequer sabíamos da sua existência. Mas não foi por mal, mesmo porque às vezes o mundo gira no nosso próprio umbigo, ou no umbigo do nosso amigo.

Quando você se tocou do que acontecia, já estava respondendo nossas curiosidades, mesmo as óbvias que pediam respostas para as estampas das suas camisetas do Legião. Aliás, acho que nunca te contei, mas você foi a primeira amiga que tive que escutava de verdade Legião. Eu te achava meio brega, escutava tanto rock nacional de década passada, que decidi te renovar e fiz uma pasta especial pro seu mp3, lembra? A base era Yellowcard, o resto eram só acordes de guitarras soltos em frases que eu tanto insistia para colocar em sua cabeça. Juro, nunca vi uma pessoa que atraísse tantos problemas! Frases positivas me faziam crer que iam mudar seu modo de pensar, de ver a vida e, assim, com pensamentos felizes, você iria espantar as vibes negativas para longe. Eu queria te transformar em algo parecido comigo. Tinha tanta certeza dos meus eu’s, mas ignorava à fundo os gritos e brigas que travava comigo mesma. Tola que era/sou, pensei que poderia te consertar sem nem sequer saber onde estava meu próprio problema.

Hoje, depois de tantos anos, te mandei um “Oi” sincero. Tive vontade de saber de você, de escutar os 390 problemas inúteis que você carregava enquanto tentava em vão entender qualquer Movimento Literário que a professora passava. Tive vontade de voltar no tempo, de encontrar você carrancuda e lutar por 3 aulas, 10 bilhetes e 20 minutos de intervalo para lhe arrancar um sorriso.Tive vontade de rabiscar seu caderno e rir enquanto você apagava fingido braveza, mas não riscava o meu porque sabia que eu não gostava. Tive vontade de saber dos seus casos dos ‘Ursinhos carinhosos’ e criar teorias mirabolantes para explicar paixonites babacas. Tive vontade de te mandar mensagem perguntando quando foi mesmo que eu fiz aquilo que te contei e que rimos por 3 dias. Tive vontade de te contar mais uma vez que me encantei por um menino da faculdade que parecia o Jacob. Tive vontade de perguntar como você conseguiu chegar e mudar minha vida em tantos aspectos. Tive vontade de saber por que você sempre soube mais sobre mim do que eu mesma. Tive vontade de te pedir desculpa porque talvez eu nunca tenha sabido tanto de você.

Acho que estou com saudade. Possuída por aqueles sentimentos nostálgicos de fim de noite ou qualquer coisa parecida. Você sabe como sou, tenho dificuldade em admitir que tenho dependências, mesmo elas sendo tão claras, óbvias e ridículas (Céus, eu choro por cortar o cabelo!). Talvez eu até poderia me conhecer um pouco melhor, guardar um pouco das datas marcantes e buscar minhas conclusões sem precisar do exercício auto-afirmativo de longas conversas de contraposição de argumentos. Mas talvez, só talvez, eu gostasse da sua dependência. Por querer estar perto, junto… por querer sentir a amizade no dia-a-dia. É isso! Sinto falta da sua amizade no meio da rotina, sinto sua falta nas risadas, nas conversas e nos rabiscos de caderno. Talvez meu “Oi” queria dizer isso.

Desculpa, eu fiz de novo. Precisei conversar imaginariamente com você para descobrir que tenho saudade de você. Sabe… se pá eu sou ucê por um longo tempo ainda.

Com carinho,

A.

Anúncios

2 Respostas to “Sinto sua falta”

  1. P. 6 de outubro de 2013 às 4:34 am #

    Sabe, eu nem lembrava que você havia dito que ia escrever. Simplesmente esqueci. Mas hoje, aliás no meio da minha conversa com eu mesma fiquei pensando em você. No seu jeito bobo, super desligada e nada atenciosa, do jeito que fala sem pensar, do seu jeito de querer carinho e ao mesmo tempo não querer que cheguem perto. Fiquei pensando do quanto eu gostava de te dar boa noite todos os dias, reforçar que te amava e ali saber o quanto gostava de você. Fiquei imaginando você contar das suas aventuras e de seus conflitos sem fim, mandando eu parar de ser boba e ir ser feliz.
    Mas parece tudo hoje anda tão longe, distante e que, as vezes, não faz sentido nenhum. Na verdade, nem faz… mas como você gosta de contrariar, você se faz aqui… e eu, fico aqui, desse meu jeito, sendo você por um bom tempo.

    • anapalombo 8 de outubro de 2013 às 11:43 am #

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: